Retinoises evoca força feminina em clipe de Fly Away

O rock alternativo dos anos 1990 encontra refúgio seguro e continuidade em ‘Fly Away (Free Girl)’, clipe que o quarteto paulista Retinoises acaba de lançar em seu canal no YouTube. A canção faz parte do EP ‘Eyes For Sale’ e o vídeo inaugura a filmografia da banda, funcionando como um bom cartão de visitas para apresentar rosto e som do grupo nascido na cidade de Bom Jesus dos Perdões.

Abordando o tema da liberdade feminina, ‘Fly Away (Free Girl)’ fala da força da mulher frente aos obstáculos. “‘Fly Away’ foi idealizada para transmitir a importância  da energia e vigor delas diante dos desafios do mundo moderno, sem perder a pureza e inocência de uma criança. Essa dicotomia é conduzida através do peso e massa sonora das guitarras distorcidas em contraste com o vocal melodioso e de características shoegaze, especialmente no refrão”, explica o vocalista Rudolph Oliveira.

Assista Fly Away (Free Girl)
https://youtu.be/GghDSVzPeEQ

Retinoises nasce da história particular de Rudolph que é também guitarrista e fundador da banda. O músico tem uma condição chamada retinose pigmentar, doença genética, progressiva e incurável da retina que já lhe causou a perda da maior parte da visão. A retinose acomete milhares de pessoas – atinge uma em cada seis mil pessoas no mundo todo – e pode levar à cegueira total. Fazer música e contar através dela os altos e baixos que a situação provoca passou a ser pauta constante para o Retinoises, como o próprio nome da banda entrega.

Retinoises traz uma mistura interessante do som pesado do heavy metal e do stoner com a atmosfera noventista. As letras não deixam de perpassar por momentos de angústia,  às vezes, obscuros, embaladas sob fontes de inspiração como Smashing Pumpkins, Queens of The Stone Age, My Bloody Valentine, Alice in Chains e Nirvana.
Na discografia, Retinoises possui os seguintes trabalhos: o EP Which Way EP (2018), o álbum Retinoises (2019), o single Gaslighting (2020), o single One More Life (2021), o EP Eyes For Sale (2021), o single Suicide Prevention (2021) e o single Feel Bad (Hit of Winter) de 2022.

Ficha técnica – clipe:

Filmado e editado por Sóstenes Matusalem e Eduardo Anabela
Imagens Adicionais de Vitor Ledier
Edição final por Bruno Teixeira (Agência 1a1)

Ficha técnica – música:

Gravada e produzida por Ricardo Prado e Marcelo Ariente Mackoy no Estúdio Canto da Coruja

Retinoises é:

Rudolph Oliveira (vocal e guitarra)

Bruno Pasquali (bateria)                          

Rafael Ferrari (baixo)        

Raphael Mello (guitarra)

Siga Retinoises
https://www.instagram.com/retinoises
https://www.facebook.com/retinoises
https://bit.ly/retinoises-deezer

Duo riot grrrl brasileiro Motosserra lança clipe para a canção “AmaZona”

Formada pela mineira Maria Caram e a paraibana Olga Costa, o projeto apresenta o primeiro clipe.

Motosserra é formada pela paraibana Olga Costa e a mineira Maria Caram, um duo virtual que leva muito a sério a ideia do Faça Você Mesmo e do Vai com medo mesmo. Com uma mistura de punk, riot grrrl, experimental, spoken word e muita vontade de colocar música no mundo, projeto apresenta seu primeiro clipe para canção “AmaZona”.

Lançada originalmente na playlist de Dezembro do blog Hominis Canidae e no começo de Janeiro no bandcamp da dupla. Enquanto Olga transformava o desmatamento da Amazônia em poesia, Maria tentava transformar em música o sentido de farsa. Foi o encontro dessas 2 tentativas com o desejo de arriscar que deu origem a “AmaZona”, primeiro single do que se tornou o duo Motosserra, provando que tilts e glitchs podem ser mais importantes para um encontro frutífero que uma conexão de internet estável.

“O pulmão do planeta morreu. Deixamos morrer. Queimamos, cortamos e quando nos demos conta, já não haviam cilindros de oxigênio suficiente. Os que tem dinheiro, migram para Marte. Os que não tem, criam seus bunkers, vestem suas máscaras, performam numa vida tão árida que nem parece real. Mad Max é aqui. 1984 é aqui. Derruba mais mil”, comenta Maria Caram sobre o clipe, que foi produzido, editado e montado por Matheus Palmieri.

O duo é o novo integrante do selo virtual Hominis Canidae REC, que disponibiliza o clipe em seu canal no youtube e irá distribuir a música e a versão remix em todos os streams em breve.

Spiritraiser: banda lança novo single Fearism e marca espaço do rock alternativo finlandês no Brasil

Spiritraiser, quarteto finlandês de rock alternativo na estrada desde 2018, lança nesta sexta-feira (03), Fearism, música que fará parte do segundo disco da banda com estreia programada ainda para o primeiro semestre. A faixa está disponível nos streamings e também ganhou um vídeo no Youtube com direção de Antti “Nessu” Jokinen e com o ator Eero Valovaara. 
Ouça aqui Fearism:
https://album.link/6wknrn6pmcf5f

Assista aqui Fearism:
https://youtu.be/25SUl97Pz_g

Apostando no tema da discriminação sofrida por muitas pessoas por conta de sua origem, Fearism nasce de um sonho do guitarrista Uula Korhonen sobre a condição de uma amiga que lutava para conseguir um lugar calmo e seguro para si depois depois de sofrer preconceito.

“A música é sobre o medo e a ansiedade que atinge pessoas ao redor do mundo que precisam fugir de suas casas para encontrar um lugar onde possam viver em paz e serem aceitas, independentemente de sua origem, gênero ou origem cultural”, diz Uula.

Com seu conjunto sonoro e lírico bastante peculiar, Spiritraiser garante um lugar para o rock alternativo na Finlândia, país ainda muito reconhecido pelos brasileiros por suas bandas de heavy metal.

Misturando diversos elementos do rock, guitarras pesadas e música ambiente, Jules Näveri (vocal), Uula Korhonen (guitarra), Anssi Ruotanen (baixo) e Kristian Merilahti (bateria e programação) já mostraram ao público a identidade da banda com as músicas ‘Stream’, ‘Glory’ e ‘Invisible Enemy’, singles disponíveis na web.

O vocalista Jules Näveri, que mora no Rio de Janeiro, é o autor da letra de Fearism e analisa que a ascensão de governos populistas em diversos pontos do mundo têm sido um fator crucial na ascensão da segregação por raça, cor, credo e origem. 

“Infelizmente, nossas sociedades são intimidadas por fanáticos populistas que tentam impedir que as pessoas aprendam e entendam problemas maiores e, portanto, não buscam soluções para eles”, comenta. “Ou ainda oferecem ‘soluções fáceis’ para questões complicadas. Geralmente eles têm zero experiência no que significa estar com medo. Eles não têm ideia do que significa fugir de sua casa e deixar tudo para trás. Eles são incapazes de se colocar na posição de outra pessoa e é por isso que o medo que eles cospem é apenas uma ignorância egoísta”, finaliza.

Os músicos do Spiritraiser também são envolvidos com outros importantes trabalhos. Jules Näveri é  ainda conhecido pelas bandas Profane Omen, Rootbrain e Enemy of the Sun, Uula Korhonen pelo Sleep Of Monsters e Kristian Merilahti também faz música eletrônica sob o codinome Fone. 

Ficha técnica – Fearism
Composição: Uula Korhonen, Anssi Ruotanen, Kristian Merilahti

Letra: Jules Näveri

Arranjos:  Kristian Merilahti, Uula Korhonen, Anssi Ruotanen, Jules Näveri

Spiritraiser é:

Jules Näveri – Vocais

Uula Korhonen – Guitarra

Kristian Merilahti – Bateria e programação

Anssi Ruotanen – baixo

Siga Spiritraiser

instagram.com/spiritraiser_band

bit.ly/yotube-spiritraiser

Angra, maior nome do heavy metal melódico brasileiro, retorna a Porto Alegre em junho



Sucesso, polêmicas, mudanças de integrantes e, acima de tudo, qualidade musical. Tudo isso faz parte da história do Angra, banda criada em 1991 e que elevou o metal melódico nacional ao alto nível. Foram diversos momentos marcantes na carreira do grupo, sendo um deles o lançamento do quarto álbum: “Rebirth” (2001). Como o nome sugere, o trabalho foi um renascimento para o conjunto após reformular a formação e voltar à ativa com Edu Falaschi assumindo a função de vocalista deixada por Andre Matos, Felipe Andreoli (baixo) na vaga de Luis Mariutti e Aquiles Priester pegando as baquetas antes tocadas por Ricardo Confessori.
 É para celebrar este clássico registro que a banda estará em turnê durante os meses de junho e julho. Em Porto Alegre, o show da “Rebirth 20th Anniversary” ocorre em 25 de junho, sábado, às 20h30min, no Opinião (Rua José do Patrocínio, 834). As honras da casa na capital gaúcha ficam sob a responsabilidade da banda convidada Rage In My Eyes e sua mistura de heavy metal e tradicionalismo gaudério. Ingressos podem ser adquiridos em https://bileto.sympla.com.br/event/71703/d/128107.
A gira pelo sul do país inclui ainda Florianópolis (em 24 de junho, no John Bull Pub) e Curitiba (em 26 de junho, no Ópera de Arame).
 ::::: ANGRA :::::
Local
Opinião (Rua José do Patrocínio, 834)
Classificação etária
Livre
Quando
25 de junho, sábado, às 20h30min
Horários
18h — abertura da casa
19h20min — Rage in My Eyes
20h30min — ANGRA
Ingressos
PISTA
1º lote (promocional)
Inteira — R$ 120
Solidário — R$ 65*
Meia —R$ 60**
 
2º lote (promocional)
Inteira — R$ 140
Solidário — R$ 75*
Meia — R$ 70**
 
3º lote
Inteira — R$ 160
Solidário — R$ 85*
Meia — R$ 80**
 
4º lote
Inteira — R$ 180
Solidário — R$ 95*
Meia — R$ 90**
 
MEZANINO – cadeiras com mesas (por ordem de chegada)
1º lote (promocional)
Inteira — R$ 200
Solidário —  R$ 105*
Meia —  R$ 100**
 
2º lote 
Inteira —  R$ 220
Solidário —  R$ 115*
Meia —  R$ 110**
 * Solidário — limitados e válidos somente com a entrega de 1kg de alimento não perecível na entrada do show.
** Meia-entrada — para estudantes são válidas somente as seguintes carteiras de identificação estudantil: ANPG, UNE, UBE’s, DCE’s e demais especificadas na LEI FEDERAL Nº 12.933. Não será aceita NENHUMA outra forma de identificação que não as oficializadas na lei.
Pontos de venda 
Bilheteria oficial (sem taxa de conveniência – somente em dinheiro)
Loja Planeta Surf Bourbon Wallig (Av. Assis Brasil, 2611 – Loja 249 – Jardim Lindóia, Porto Alegre). Horário funcionamento: das 10h às 22h.
Bilheteria Araújo Vianna (Av. Osvaldo Aranha, 685 – Bairro Bom Fim). Aberta somente em dia de eventos 2 horas antes do início dos shows.
Demais pontos de venda (sujeito à cobrança de taxa de conveniência –  somente em dinheiro):
Loja Verse Centro (Rua dos Andradas, Galeria Chaves, 1444 – Loja 06 – Centro Histórico, Porto Alegre).
 
ANGRA
O conceitual e atemporal álbum “Rebirth”, do Angra, que marcou época e traz inúmeras características que fizeram com que o som da banda se tornasse único, completou duas décadas em 2021. Com a efeméride, surgiu a ideia de uma turnê comemorativa aos 20 anos do disco. A gira se realizará no Brasil nos meses de junho e julho. Sobre a empreitada, o guitarrista e fundador da banda, Rafael Bittencourt diz:
“Estou muito feliz em realizar a turnê do “Rebirth” juntamente com o Fabio Lione, Felipe Andreoli, Marcelo Barbosa e Bruno Valverde. Será muito emblemático retornar e reviver uma época em que a banda estava renascendo, pois nesse momento o mundo inteiro está renascendo. Nós estamos no meio de uma pandemia, pois não se sabe ainda quanto tempo as coisas irão demorar para retornar como eram, e muito possivelmente nunca seremos os mesmos. Mas, para mim, também será o resgate de um trabalho que representou muito em minha vida. Trabalho esse que revelou o que eu estava sentindo na época, já que a banda havia se separado, estávamos nos reconstruindo.
Em relação à história do álbum, ele enfatiza: “”Rebirth” é uma civilização reconstruindo o mundo, que é um pouco do que estamos vivendo nesses momentos. E também será importante, pois logo a banda irá se reunir para criar um novo trabalho, e revisitar o “Rebirth” nos trará inspiração para escrever um material belíssimo, não só sobre o drama de renascimento da banda, mas sobre o renascimento de toda a sociedade mundial”, observa Rafael Bittencourt.
Rafael complementa ainda sobre a falta que sente dos palcos em função da pandemia: “Fora a saudade dos palcos, tem a saudade de ver o público. Estou muito ansioso para o começo dessa Nova Era!”, conclui o músic, fazendo um trocadilho com o nome de umas das composições do álbum homenageado.
Com relação à turnê e ao que o público poderá esperar dos shows, o Angra garante que fará apresentações vigorosas, enérgicas e cheias de paixão.
“Rebirth” saiu em 2001, marcando o renascimento do Angra, sendo o primeiro álbum a contar com o vocalista Edu Falaschi. O material, conciso e repleto de excelentes composições, mostrou a força da banda: vendeu mais de 100 mil cópias em menos de dois meses, algo inconcebível para uma banda de metal sem nenhum apoio da grande mídia no Brasil, onde o grupo recebeu disco de ouro. “Rebirth” já ultrapassou a marca de um milhão de discos vendidos ao redor do mundo. 
RAGE IN MY EYES
Banda brasileira de heavy metal que surgiu em 2002 sob o nome de Scelerata. Ao longo de 19 anos, construiu uma história de respeito no cenário do  metal brasileiro e internacional. Com quatro full-length lançados mundialmente e um EP, incluindo o álbum internacionalmente aclamado “The Sniper” — parcialmente gravado na Alemanha no estúdio da lendária banda Blind Guardian e produzido por Charlie Bauerfeind (Blind Guardian, Helloween, Angra) —, que contou com as participações de Paul Di’anno (ex-Iron Maiden) e Andi Deris (Helloween). 
O Scelerata foi a banda oficial brasileira de apoio ao vocalista Paul Di’anno (ex-Iron Maiden) de 2009 a 2014, tocando mais de 50 shows com o vocalista e ainda abrindo todas essas apresentações executando repertório autoral. Ainda sob o nome Scelerata, o grupo abriu espetáculos de nomes como Deep Purple, Gamma Ray, Angra, Shaman, Viper, Kamelot, Krisiun e Edguy e tocou no palco com Roy Z (Bruce Dickinson, Rob Halford) e Kiko Loureiro (Megadeth, ex-Angra).
Passando por uma mudança de nome em 2018, o Rage In My Eyes agora apresenta ao mundo um tipo de música único, especialmente por incorporar o acordeon ao metal. Por ser do sul do Brasil, a banda entrega um som que mistura heavy e prog metal com elementos da milonga — gênero musical do Sul do Brasil, Uruguai e Argentina. O guitarrista Magnus Wichmann, neto do lendário músico gaúcho Teixeirinha, e principal compositor, destaca os arranjos da milonga e o acordeon nos temas da RIME: “Já faz um tempo que acrescentamos esses elementos e percebemos que combinavam muito bem com o nosso estilo e com a composição. Queríamos trazer algo especial e único, e tudo aconteceu de uma forma muito autêntica e natural. A melhor parte é que os fãs aprovaram esses experimentos.”
O álbum de estreia, “Ice Cell”, lançado em agosto de 2019, abriu muitas portas e recebeu boas críticas em todo o mundo. O disco foi gravado em Los Angeles (EUA) e na cidade natal da banda, Porto Alegre (Brasil), produzido por Magnus Wichmann no Magneto Studio (Brasil) e Daufembach Studio (EUA). A mixagem e masterização foram realizadas em Los Angeles pelo renomado produtor brasileiro Adair Daufembach (Dirk Verbeuren, Aquiles Priester, Kiko Loureiro, Tony MacAlpine). A mudança do baterista Francis Cassol para Los Angeles contribuiu para o relacionamento mais próximo da banda com o produtor Adair Daufembach. “Gravar nos Estados Unidos com Adair foi uma experiência incrível. Alcançamos resultados impressionantes em termos de som de bateria”. Para divulgar o álbum, foram lançados dois videoclipes oficiais, o primeiro de ‘Death Sleepers’, faixa que explicita as influências da milonga e da cultura gaúcha. Mas a principal conquista foi a histórica abertura para o Iron Maiden durante a “Legacy of The Beast Tour 2019”, em Porto Alegre, para 40 mil pessoas na Arena do Grêmio, que resultou no videoclipe da faixa ‘Hole In The Shell’.
      Em 2020, o grupo lançou um single e um lyric vídeo da música ‘I Don’t Want To Say Goodbye’, que é uma homenagem ao grandioso cantor brasileiro Andre Matos, infelizmente falecido em 2019. Ainda em 2020, sem poder se apresentar ao vivo em razão da pandemia, a Rage in My Eyes disponibilizou dois vídeos de “quarentena” ao vivo. Uma para a faixa de abertura de ‘Ice Cell’, ‘Winter Dream’ e outra para a música ‘A Perigo’, versão dos Engenheiros do Hawaii.
      Em 2021, saiu o EP “Spiral”, que consiste em cinco faixas e mantém a essência da composição da banda, mas busca levar sua conexão com a milonga um passo adiante. 
 
OUÇA RAGE IN MY EYES:
https://rageinmyeyes.com/
https://ffm.bio/RageInMyEyes
https://linktr.ee/rageinmyeyes
 
Resumo
O que: Angra
Quando: Sábado, 25 de junho, 20h30min
Onde: Opinião – José do Patrocínio, 834
Quanto: de R$ 60 à R$ 220
Informações: www.abstratti.com e (51) 3211-2838.
Outros eventos Abstratti em Porto Alegre:
19/03 – Froid no Opinião
26/03 – Dead Fish no Opinião
07/05 – Supercombo no Opinião

OUÇA O EP DE ESTREIA DO SEQUÓIA, NOVA BANDA DE DANIEL SIQUEIRA (GARAGE FUZZ / CPM 22)

Nesta sexta (20) o trio instrumental Sequóia – formada por Daniel Siqueira (Garage Fuzz / CPM 22), Fabio Carcavalli e Leonardo Mangeon – lançou nas principais plataforma digitais o seu trabalho de estreia. O EP homônimo do grupo traz composições repletas de ornamentos que emergem nossos sentimentos mais profundos.

“Mozze”, “Cane” e “Dole” são as três partes que formam “Roverbella”: música de abertura em que é possível observar toda a essência e criatividade da Sequóia. O EP ainda possui as músicas “Malmok” e “Floralis”, com a participação de Daniel Arena tocando lap steel, além de “Nicarágua”, elogiado single de estreia do grupo.

”Enfim, o EP está no ar! Essa é a oportunidade perfeita pra agradecer todos aqueles que fizeram parte desse processo de registro das nossas primeiras músicas e também a todos que estão de alguma forma curtindo nosso som e espalhando por aí. Sabemos que fazer música no Brasil não é fácil, principalmente em tempos como os de hoje, então contar com o prestígio de vocês faz a diferença, nos aquece o coração e nos encoraja a continuar produzindo“, comenta Leonardo Mangeon, guitarrista do Sequóia.

A produção é assinada pela banda e em conjunto com Nando Bassetto (Garage Fuzz), que também foi responsável pelas gravações e mixagem, feitas no estúdio PlayRec, em Santos. A música foi masterizada por Caio “Fake” Fernandes no estúdio Cabeção Music, em São Paulo. A arte de capa é assinada pelo próprio guitarrista da banda.

Ouça o EP de estreia do Sequóia:
hbbrecords.com/sequoia/st

Ignited apresenta novo símbolo e vídeo da faixa “Call Me To Run”

A banda catarinense de heavy metal IGNITED participou do festival Heresy Online Fest no dia 3 de agosto ao lado de bandas de metal da Europa, Américas e África do Sul.

Para sua participação o grupo gravou dois vídeos, um para a faixa “Rotting“, disponibilizada anteriormente, e outro para “Call Me To Run“, que a banda acaba de postar em seu canal no YouTube. Esta apresentação contou com a participação especial do baixista Luciano Grunwald, da banda Clipado Trio, substituindo Sama Benedet, que deixou o grupo este ano.

Além de divulgar os vídeos a IGNITED está apresentando seu novo símbolo, criado pelo artista Gustavo Sazes (ManowarArch EnemyMorbid AngelDream Evil), com inspiração que remete à Herege, uma antiga banda dos músicos.

O guitarrista Dalton Castro comentou: “A ideia inicialmente foi inspirada no local aonde ensaiávamos na cidade de Cruz Alta – RS, na casa do baterista, durante os anos de 2001 a 2007 (no período da antiga banda, Herege), em que era muito próximo dos trilhos do trem. A ferrovia passava uma quadra e pouco de distancia e isso sempre nos remete a um sentimento da época. Frio, chuva e trem ao mesmo tempo. A outra ideia somada a esta é o símbolo do chumbo da alquimia que pareceu uma boa ideia misturar com isso tudo”

As faixas “Rotting” e “Call Me To Run” fazem parte do “Steelbound”, o disco de estreia da IGNITED, produzido por Thiago Bianchi (NOTURNALL, ex-SHAMAN) e lançado ano passado pela gravadora Voice Music. Atualmente a banda está finalizando um disco ao vivo, gravado durante show realizado ao lado do baterista Mike Portnoy (ex-DREAM THEATER) no Bar Opinião, em Porto Alegre. A produção do material está a cargo de Thiago Bianchi (NOTURNALL, ex-SHAMAN).

Confira a versão de “Call Me To Run” gravada para o Heresy Online Fest em https://www.youtube.com/watch?v=qd5SDO1rQdk

Links:
– “Call Me To Run” (Heresy Online Fest) – https://www.youtube.com/watch?v=qd5SDO1rQdk
– “Rotting” (Heresy Online Fest) – https://www.youtube.com/watch?v=5Ejgtq7QV7M
– Vídeo clipe “Ignition” – https://www.youtube.com/watch?v=Jo_KwNfkQb4
– Site – ​www.ignitedmetal.com
– Facebook: www.facebook.com/ignitedofficialband
– Instagram: ​www.instagram.com/ignited_official
– YouTube: ​www.youtube.com/IgnitedOfficial

Alterego faz desabafo explosivo em segundo disco, “Terapia”

A banda paulista Alterego mistura punk, hardcore, rock nacional noventista e alternativo para dialogar com o autoconhecimento e a saúde mental em seu novo álbum. “Terapia” foi fruto da psicanálise e traz questões empáticas para o sofrimento de muitas pessoas. O trabalho está disponível em todas as plataformas de streaming.

Ouça “Terapia”: https://bit.ly/AlteregoTerapia

“‘Esse álbum foi completamente inspirado nas minhas sessões de terapia, de verdade mesmo, não é só o nome! Engraçado é que começamos a fazer ele em 2018, e até então eu nunca tinha feito terapia na vida, mas entre as idas e vindas das gravações comecei, peguei gosto pela coisa e virou o foco total das letras. Toda a parte gráfica também foi pensada na forma de ‘se conhecer e se consertar de dentro pra fora, pra evoluir’”, conta o vocalista e guitarrista Mário Coda.

Além dele, Luizão (baixo) e Macel Teixeira (bateria) completam o trio. Em 2016, eles lançaram seu homônimo álbum de estreia. Cinco anos depois, a banda natural de Limeira (SP) amadurece seu trabalho numa redescoberta interna para o novo trabalho.

Assista ao clipe “Dual”: https://youtu.be/jYfAeWETHyA

Assista ao clipe “Não Mais que Hoje”: https://youtu.be/kXOSYn6TXrE

“Com esse conceito lírico baseado nessas sessões de terapia, automaticamente a parte musical das composições começou a tomar outros rumos, é incrível como algo que você escreve pede determinada melodia ou arranjo! Inclusive mudamos a afinação padrão da banda para essas novas músicas, sentimos que faltava algo pra ficar no clima que queríamos, e funcionou total!”, reflete Coda.

Produzido por Mário, o disco está disponível em todos os serviços de streaming de música. 

Ouça “Terapia”: https://bit.ly/AlteregoTerapia

Ficha técnica:

Mário Coda – vocal, guitarra e produção musical

Luis Henrique – baixo

Macel Teixeira – bateria

Siga Alterego:

https://linktr.ee/alteregorock

Com temática bio-pós-apocalíptica, Forceps lança clipe de Anthropoviral Amalgamation

Forceps, quarteto carioca de death metal, lança nesta sexta-feira (26), videoclipe para seu mais recente single ‘Anthropoviral Amalgamation’. Intercalando cenas da banda em ação e trechos representados pela atriz Gersyka, Anthropoviral Amalgamation faz referência a atual situação pandêmica. 

Assista aqui ‘Anthropoviral Amalgamation’

‘Anthropoviral Amalgamation’ traz a temática bio-pós-apocalíptica (um terror futurista e tecnológico) constantemente abordado nas letras do Forceps, desde suas origens em 2006. “O que não imaginávamos, era que viveríamos ainda em nosso tempo, uma realidade tão próxima a que criamos na ficção. Inspirados nessa espécie de premonição, compusemos a ‘Anthropoviral Amalgamation’, que relata um ataque muito similar ao que sofremos atualmente, porém no mundo futurístico do Forceps.”, conta o vocalista Douglas Murdoch. 

O clipe conta com direção de Ramon Melo, da Acaso Films, e o single foi gravado no Telus Estúdio com produção do Caio Mendonça (guitarrista do Lacerated And Carbonized). A ilustração da capa é assinada pelo artista Edu Nascimento.

Sobre o Forceps Nascida no ano de 2006 na cidade do Rio de Janeiro, Forceps é formada por Douglas Murdoch (vocal), Bruno Tavares (guitarra), Thiago Barbosa (baixo) e Emmanuel Iván (bateria). A banda tem na discografia três lançamentos oficiais: Corporeality (Demo 2009),  Humanicide (EP 2012) e  Mastering Extinction (Full 2017). Atualmente está trabalhando em material inédito. No Youtube, tem documentário que retrata a turnê que a banda fez nos Estados Unidos, em 2017. 

Siga o Forceps

Instagram: instagram.com/forcepsofficial

Facebook: facebook.com/Forceps

YouTube: youtube.com/forcepsdeath

Bandcamp: forceps.bandcamp.com

Aneurose fala de difamação em clipe da faixa Coolzão

A banda Aneurose (Crédito: Rafa Ela Fotografia)

O quinteto mineiro Aneurose lança nesta quinta-feira (25) videoclipe para a música ‘Coolzão’, faixa que fecha seu mais recente trabalho ‘Made in Rage’ apresentado em abril de 2021. 

Assista Coolzão (link)

Ouça Coolzão (link)

Spotify: https://bit.ly/spotify-coolzao

Deezer: https://bit.ly/deezer-coolzao


A composição, que gira em torno de assuntos como difamação e falsidade, foi apresentada aos fãs com ação na rede social que esquentou a curiosidade. Uma briga fake foi publicada nas páginas do grupo e mostrava “uma conversa vazada” de alguém que se dizia amigo, mas, por trás, falava mal da banda. A campanha rendeu apoio e atenção do público que participou interagindo e comentando sobre o assunto até a banda revelar a intenção da publicação. 

“O clipe de Coolzão foi todo gravado com nossos celulares, que é uma forma de colocar toda a galera para dentro das cenas com a gente e também estimular todo mundo ao ‘faça você mesmo’”, explica o vocalista Wall Almeida.

Aneurose que é Wall Almeida (vocal), Sávio Chaves e Raphael Wagner (guitarras), Sthéfano Dias (baixo) e Kiko Ciociola (bateria) concentra na discografia os álbuns ‘From Hell’ (2013) e ‘Juggernaut’ (2016). Na estrada de desde 2002 e nascida em Minas Gerais, na cidade de Lavras, participou de tributos da gravadora inglesa Secret Service com versões para AC/DC e Black Sabbath e também de uma coletânea ao Sepultura com uma versão de ‘Sepulnation’.

Ouça também o álbum Made in Rage

Siga Aneurose
www.aneurose.com.br

www.facebook.com/aneurose

www.youtube.com/aneurosetv

www.instagram.com/aneurose

Inspirado em Nirvana, The Crashing Brains lança novo single

A banda The Crashing Brains (Crédito: Jonathan Faria)

O quarteto The Crashing Brains acaba de disponibilizar nas principais plataformas de streaming o single ‘Reaper’ que também ganhou clipe via YouTube. Composição do guitarrista e fundador da banda Alef Silva, a música é inspirada em ‘Breed’, clássico do Nirvana do álbum ‘Nevermind’.

Assista Reaper

Ouça Reaper

Spotify: https://spoti.fi/32gueZl

Deezer: https://bit.ly/3l4Qzjb

‘Reaper’ aposta em sons mais pesados do que o single anterior, ‘Clown’, para falar sobre libertação de vícios emocionais e desprendimento de sentimentos tóxicos como egoísmo e ódio. A canção também abre os caminhos para o retorno de The Crashing Brains para os shows ao vivo após o período de isolamento social.

A banda, que segue para seu quinto ano de estrada, é formada por Luke Grave (vocal e guitarra), Álef Silva (guitarra, voz de apoio), Marcky Moura (baixo) e Matheus Rapanha (bateria), tem programada apresentação em um festival em 2022 e também prevê lançamento de ‘Premeditated’, seu disco de estreia para o ano que vem. 

Siga The Crashing Brains:

www.instagram.com/thecrashingbrains
www.youtube.com/thecrashingbrains

www.facebook.com/thecrashingbrains

A capa do single ‘Reaper’: