ForCaos 2020: Um dos maiores festivais do Nordeste acontece em edição online

Forcaos: festival cearense divulga line up de sua primeira edição ...

Em 2020 os eventos presenciais precisaram se adaptar para o modelo virtual. Festivais por todo o mundo estão acontecendo no formato de lives e as bandas estão produzindo vídeos “versões quarentena” de suas músicas para poderem participar destas edições online, como o que ocorre no Roadie Crew Online Festival e em tantos outros. Em Fortaleza, o tradicional festival underground ForCaos aderiu também este modelo e decidiu manter sua edição de 2020 com os participantes gravando suas músicas de casa, ou de um estúdio. Vale lembrar que a atual fase de retomada econômica, imposta pelo Governo do Estado do Ceará, permite o funcionamento de estúdios de ensaio com os cuidados impostos pelos órgãos competentes de saúde.

Segundo o organizador e produtor executivo Amaudson Ximenes, na edição deste ano, cada banda terá até 15 minutos para se apresentar. Este modelo virtual permitiu que o festival aumentasse o número de participantes afim de preencher os dois dias de evento online. O ForCaos 2020 irá acontecer nos dias 30 e 31 de julho em seu canal oficial no YouTube. Confira as bandas participantes!

DESALMADOManger Cadavre?RematteIn No SenseAnkerkeriA, Thrunda, Bull Control, Arcádia, Corja-Ce, Banda Lavage, D’inci, Lixorgânico, Pastel De Miolos, ObskureSinayaCallamity, Hellhoundz, InherenceNetuno Doom, Hatefulmurder, Paradise in Flames, Basttardz, Italo Azevedo, Banda LemoriPandemmyEscrotosMatakabra, Siege of Hate (S.O.H.), Réu Podre, Kamala, Scariotz, Terror Fetus, CrashkillCaroá Jam, Realidade Encoberta, Apokrisis, Old Lamp, Godhound.

Ao todo serão 38 bandas dos mais diversos estados brasileiros. O horário do evento será divulgado nas próximas semanas!

Campanha no apoia.se

O ForCaos sempre foi um festival gratuito, salvo algumas raras exceções em que houve cobrança de um valor simbólico devido a ausência de patrocínio ou apoio público. A luta para realizar o festival anualmente é notória e, por conta disso, o festival ganhou ainda mais o respeito do público nos quatro cantos do Brasil. Hoje, praticamente todas as regiões conhecem o ForCaos e compreendem sua importância na manutenção da cultura underground cearense há mais de 20 anos. Com a diminuição gradual do apoio público na realização das últimas edições do festival, o mesmo passou a utilizar, em 2019, a ferramenta do Apoia.se como uma forma de conseguir um pouco de retorno financeiro, no qual é destinado exclusivamente para as bandas e para os profissionais envolvidos na realização do evento em si. Em 2020 será o segundo ano em que ForCaos usará novamente a ferramenta. “Todo o valor arrecado pelos doadores será destinado exclusivamente para as bandas, ajudando a amenizar os gastos que elas vão ter na gravação e produção das músicas que serão exibidas no festival”, conta Amaudson Ximenes, presidente da Associação Cultural Cearense do Rock.

Ajude o festival e as bandas independentes pelo link: apoia.se/forcaos2020

Oficinas

O festival sempre trouxe programações paralelas aos shows, e nesta edição online não será diferente. Em parceria com o Centro Cultural Belchior, as oficinas produzidas serão transmitidas no Instagram oficial do centro cultural (@centroculturalbelchior). Confira a programação completa a seguir!

30 de julho de 2020 (QUINTA) – 15H – Live Instagram
Oficina básica de registro, lançamento e distribuição musical independente.
Facilitador: Vinicius Araújo de Oliveira – Selo/Distro Vertigem Discos

31 de julho de 202 (SEXTA) – 15H – Live Instagram
Oficina – Gerenciando sua banda!
Facilitador – Jolson Ximenes

1º de agosto de 2020 (SÁBADO)
11H – Oficina Cantando Rock – Do planejamento ao palco – Live Instagram
Facilitadora: Claudine Albuquerque
15H – Oficina Fotografando Bandas – Do Show ao Retrato – Live Instagram
Facilitadores: Gandhi Guimarães e Vicente Ferreira
18H – Live Krenak

Psica Festival anuncia Djonga, Sepultura, Krisiun e Jaloo, mostrando mais uma vez porque é um dos principais festivais de diversidade do país

Festival ocorre entre os dias 19 e 22 de dezembro, e terá ainda atrações como Viviane Batidão, Luedji Luna e MC Tha.

Após annciar previamente Luedji Luna, Sepultura e Johny Rockstar, o Psica Festival divulgou o line-up completo na madrugada deste sábado (19). Desta vez, nomes como o rapper mineiro Djonga, a paulista MC Tha e os paraenses Jaloo e Viviane Batidão, entraram na programação. O evento ocorre entre os dias 19 e 22 e dezembro deste ano. 

Com dois dias de maratonas de shows, o Psica Festival soma quase 30 atrações, incluindo desde nomes da cena paraense até os repercussão nacional. São headliners da edição: Sepultura, Luedji Luna, Djonga, Jaloo, Mc Tha, Krisiun e Viviane Batidão.

Completam o line-up: Sammliz, Nervo Caos, Bruno B.O, Johny Rockstar, Manger Cadavre?, Wi-Fi Kills, Ita Lemi Sinavuru, Cobra Venenosa, Nic Dias + Xico Doido, Velhos Cabanos, Noturna, Moraes MV + Atrixma, Manto, Contraponto, Cachacinha + Arthur Silva, Briga de Bar, Dj Zek Picoteiro, Dj Waldo Squash, além do show do RapPA no Ataque (Ruth Clark, Bruna BG & Anna Suav, Pelé do Manifesto, Everton MC, Negro Edi, Daniel ADR, Pellut The Boy).

Agende-se:

Psica Festival 2019

Data: 19 a 22 de dezembro;

Locais: 21/12 – Curro Velho

22/12 Espaço Nautico Marine Club

Festival Extreme Condition tem terceira edição em Olinda

A imagem pode conter: texto

Data: Sábado 10/08/19
Pontualmente às 21HS
Local: Recanto do Ingá, 723, Carmo – Olinda / PE

Com as bandas:

Decomposing – CE (Divulgando o full álbum “Unleash The Underground Abominations”) Decomposing

Blast Agony – PE Blast Agony

Confounded – PE Confounded

Infectos – PE Infectos Brutal

Ingressos à venda na mix music
R$ 30,00
Sorteios e brindes

Informações: (81) 99540-1882

Venda de material das bandas no local!!!
Apoie a cena metal, compareça!!!!

Insana Harmonia Festival acontece esse final de semana em Recife

Nenhuma descrição de foto disponível.

Uma ótima notícia para Recife e arredores: o Insana Harmonia agora virou festival. Nessa edição teremos uma noite de Caos, Ódio e Destruição no Burburinho. Contando com as bandas: Hellrastru, Scream, Ruína e United For Distortion. A entrada possui valor único a R$10.

Apoio: Studio Space Invaders, Alive, Arena Metal .

Quando: 03 de agosto
Horário: 22h
Endereço: Rua Vigário Tenório, 185 Recife Antigo, 50030-010 Recife

Metal Sul Festival confirma segunda edição para novembro em Bento Gonçalves/RS

Atrações do evento dedicado ao heavy metal gaúcho estão em fase de seleção  

O Metal Sul Festival toma forma com uma edição especial em Bento Gonçalves, trazendo diversas atrações da música pesada underground gaúcha. O evento está agendado para os dias 1º e 2 de novembro, no complexo da Fundação Casa das Artes. A lista das atrações está sendo selecionado e deve ser divulgada até o mês de agosto.

Em 2019, haverá um financiamento coletivo, que será colocado no ar ainda esta semana, para subsidiar o projeto (mais informações em breve). Na estreia, em 2017, a iniciativa foi contemplada em edital do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, sendo a primeira do estilo (heavy metal) a receber incentivo público estadual. Foram 10 bandas, além de uma orquestra com repertório especial para a ocasião, e as apresentações estiveram distribuídas em quatro dias pelas cidades de Bento e Caxias do Sul.

De acordo com a produtora do festival, Cláudia Kunst, Bento Gonçalves foi extremamente acolhedora em sediar o Metal Sul e, de pronto, aceitou recebê-lo novamente. “Estamos organizando tudo para que seja novamente um sucesso, com grandes nomes do metal gaúcho, assim como foi em 2017. Além disso, o projeto continua com o objetivo de mostrar que o metal não é apenas um estilo musical, mas sim, um estilo de vida”, destaca a produtora.

Apoio coletivo

Este ano, o projeto não tem financiamento público, o que não impede de a programação continuar afinada com o conceito de valorizar o artista e o público. “A premissa do Metal Sul Festival é a valorização dos músicos, e também consolidar a participação das prefeituras e demais governos, seja com verba ou por meio de parceria. Entendemos que, assim como muitos municípios atendem a demanda da populaçção que gosta de música popular — como sertaneja, tradicionalista e outros estilos —, o heavy metal também deve ser valorizado e respeitado”, salienta Cláudia.

Embora esta edição não tenha verba de edital, buscam-se outras formas de viabilizar a empreitada. “Lançaremos um financiamento coletivo, por meio de plataforma específica, onde o apoiador contribui com o valor de sua escolha e recebe presentes”, destaca Cláudia. 

São diversas opções de brindes: CDs, camisetas, canecas, kits de cerveja, livros e até uma tatuagem do artista Rafael Giovanoli, no valor de 800 reais. Conforme a organização, muitas bandas ofereceram merchandising para contribuir. “Fico pensando sobre o que se trata a frase ‘o heavy metal morreu’. Estamos mostrando que o metal continua mais vivo do que nunca”, ressalta Cláudia.

Programação e surpresas

A lista das bandas que se apresentam no festival deste ano está sendo selecionada por uma comissão curadora, formada por artistas, produtores e jornalistas envolvidos com a primeira edição do festival. “Reunimos 16 pessoas que estão ouvindo todas as bandas que foram indicadas pelo Facebook após postagens de chamamento publicadas na página do Metal Sul Festival. Os critérios têm sido bem consolidados, que vão desde apresentação da banda, qualidade sonora e visual, até a facilidade de localizar esses materiais na internet”, explica Cláudia.

A programação está em fase de finalização e, segundo a produtora, inclui uma série de surpresas para que o festival seja tão inesquecível quanto o primeiro. “Esperamos  supreender o público”, finaliza a produtora.

Siga o festival nas redes sociais: 

Facebook: https://www.facebook.com/metalsulfestivalInstagram: instagram.com/metalsulfestival/

Oxigênio Festival inicia venda de blind ticket

Oxigênio Festival, que chega à sexta edição neste ano, é um dos eventos mais plurais no ramo do entretenimento nacional. Assim como grandes nomes do circuito de shows, une na capital São Paulo música, esporte, gastronomia e outros segmentos culturais, como jogos eletrônicos e exposições de arte. Após uma experiência incrível nas últimas cinco edições e um público geral que ultrapassou os 15 mil, o Hangar 110 em parceria com a Gig Music dão a largada para a edição 2019, confirmada para setembro, com a venda do blind ticket, ou seja, venda de ingressos sem divulgar as atrações. Venda até 30 de junho: https://pixelticket.com.br/eventos/3724/oxigenio-festival-2019.

Com desconto especial, o Blind Ticket vale para os três dias de evento – aí está a primeira dica do Oxigênio 2019 – e pode ser adquirido online. O valor (meia entrada e promocional) é de R$ 180. O line-up, com muitas surpresas e bandas no auge da carreira, será anunciado dia 1º de julho.

Vamos falar do Oxigênio a partir de números? O festival já foi palco para mais de 100 bandas ao longo de quatro edições, cujo público total beira 20 mil pessoas. Ainda de acordo com números coletados pela produção, o evento, que a cada ano se mostra uma marca mais consolidada no mercado musical nacional, teve o engajamento online de um público de aproximadamente 2 milhões por edição.

O Oxigênio, hoje, extrapola as raízes no punk rock e hardcore e abre espaço para emo, alternativo, pop punk, rock n roll e ska. E por que não ampliar a gama de estilos em 2019?

SERVIÇO

Oxigênio Festival 2019, em setembro
Evento: https://www.facebook.com/events/340058723359517/
Data: 13, 14 e 15 de setembro
Horário: 13 horas (abertura); 14 horas (início dos shows)
Local: Via Matarazzo
Endereço: Avenida Francisco Matarazzo, 764, 05001-000, Água Branca, São Paulo, SP
Ingresso (Blind ticket): R$ 180 (para os três dias – meia/promocional); R$ 360 (para os três dias – inteira)
Online: https://pixelticket.com.br/eventos/3724/oxigenio-festival-2019
Físico: Locomotiva Discos, na Rua Barão de Itapetininga, 37 (sem taxa)
Censura: 14 anos

ForCaos 2019: Financiamento coletivo para realização do festival

Um dos principais eventos musicais do Ceará enfrenta dificuldades para concretizar a edição comemorativa de 20 anos.

Edição 2012 reuniu 28 atrações musicais no Centro Cultural Banco do Nordeste (CCBNB) e Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (CDMAC)

O ForCaos completa duas décadas de batalha no cenário musical brasileiro. Idealizado no fim dos anos 1990 como alternativa cultural para a juventude de Fortaleza, a iniciativa chega a 2019 cercada de incertezas. Sem o total aporte do poder público local, resta aos organizadores investir no financiamento coletivo via internet.

Trata da antiga prática conhecida como “vaquinha”, aquela onde um determinado grupo de pessoas unem recursos financeiros em prol de uma causa. A Associação Cultural Cearense do Rock (ACR) pede um apoio no valor de R$ 17 mil. A campanha se encerra dia 1º de julho. “É uma forma de garantir o pagamento das bandas. Tentar viabilizar algum nome nacional para este ano. Queremos realizar seis datas”, detalha o presidente da ACR, Amaudson Ximenes.

Até agora, de certo, o ForCaos 2019 já movimentou forças para três dias de festival. Três datas estão fechadas. Havana 1884 (dias 21 e 28 de julho) e uma na Vila das Artes (19 de julho). Este último, equipamento público, tem sido o parceiro mais presente nos últimos anos. O apoio, resgata Ximenes, é de “cessão do espaço”. A Secretaria Municipal de Cultura de Fortaleza (Secultfor), via Gabinete do Prefeito, entra com a estrutura de palco, som, luz, gerador e limpeza.

Contra o tempo

Nas dez edições anteriores, o evento ocorreu de forma gratuita por conta do apoio de políticas públicas culturais no Ceará. Em 2018, O ForCaos foi reconhecido enquanto evento oficial da cidade de Fortaleza por meio da Lei 10.736/2018. “Mesmo assim, todo ano tem uma luta. 2015 já deixamos de realizar por falta de pagamentos. Vamos procurar o Theatro José de Alencar, tentar ser ouvidos pelo Dragão do Mar. Temos 20 anos de história para defender”, aponta o realizador.

Segundo dados dos organizadores, cada ForCaos gera, em média, mais de 300 empregos diretos ao reunir músicos, produtores, jornalistas, motoristas, seguranças, técnicos e equipes de apoio. Em abril, o festival recebeu inscrições para a edição deste ano 184 bandas participam da seleção e os dois estados com maior números de solicitações foram Ceará (76 grupos) e São Paulo (31).

Criado para valorizar a diversidade cultural característica da Capital cearense, expondo as principais vertentes do rock local e nacional através da troca de experiências e informações, o Festival ganhou outras proporções e transformou-se referência no circuito de festivais alternativos no Brasil. Até agora, R$ 245 foram arrecadados. 1.44 % do total pedido.

“Já percebi que uma turma até de fora já mandou contribuições para a vaquinha. É interessante o quanto uma atividade cultural dessas modifica a vida de tanta gente”, finaliza Ximenes. Quem participou do ForCaos como músico, público, ou parceiro, pode contribuir com qualquer valor para que o evento possa acontecer.

Serviço
Campanha de financiamento coletivo do ForCaos 20 anos. Contribuições pelo site.

Via: Diário do Nordeste

GARAGE SOUNDS: festival itinerante de hardcore percorrerá 11 cidades do Brasil

O Garage Sounds que teve início em Fortaleza, espalhou-se Brasil a fora. Esse ano, o evento apresentou um festival itinerante com bandas fixas. Essa opção do festival gerou comemorações e críticas (na medida em que diminui a possibilidade de outras bandas participarem do line up e a baixa presença de bandas com mulheres no índice geral de bandas apresentadas). E você o que acha da decisão da produção?

A imagem pode conter: texto

No entanto, a matéria na revista Rolling Stone a organização se pronunciou defendendo o underground:

“Com a decadência das grandes bandas de rock nacional, o movimento underground ficou com a missão de renovar o rock brasileiro. O Garage Sounds apenas desenhou um processo de circulação e revelação de bandas de uma maneira mais organizada e sistemática”, disse Leonarno KenjiCEO do festival.

“Nosso objetivo é oferecer uma festa padrão onde estão presentes artistas de diversas subcategorias do rock: metal, indie, emo, punk e hardcore. Todas as cidades receberão artistas nacionais, e serão selecionadas bandas locais para representar a cidade e a cultura rock local”, explicou Kenji.

Os headliners de 2019 são Dead FishKrisiun, Esteban, Molho NegroSurraGloriaHateen e Zander. Bandas como Malvina e Damn Youth também subirão aos palcos, além dos line-ups locais.

A edição deste ano começa no dia 12 de julho, mês do rock, na capital do Rio de Janeiro. O último show deste ano é no dia 7 de setembro, em Belém, Pará. As outras cidades do festival itinerante são Curitiba, SantosBelo HorizonteMaceióAracajuRecifeNatalFortaleza e Manaus.

Os ingressos são vendidos no site do evento, e os preços variam de R$ 52,50 (meia entrada de estudante e entrada social) a R$ 105. Os 50 primeiros ingressos de cada local vêm com uma camiseta especial do festival.

ABRIL PRO ROCK: a consolidação da resistência antifascista no metal!

O dia mais aguardado no Abril Pro Rock aconteceu ontem, dia 20. Exposição de arte, feira com material independente, rango, cerveja, metal e uma frente antifascista consolidada mostraram a importância de se tomar partido. As bandas clássicas fizeram shows históricos, mas as apresentações de nomes como Desalmado, Flageladör e Manger Cadavre? foram os pontos altos da noite.

Foto: Abril Pro Rock

Com dois palcos paralelos, grande celebração do metal começou no Palco 1 com a Exorcismo. Ótima banda de Recife que fez as honras da casa com maestria em seu thrash metal. Na sequência, nos voltamos para o palco para conferir o que os 33 anos de hardcore da banda pernambucana Pesado. Eles mandaram um set lindo com direito a
Câmbio Negro e Aorta.

Foto: Abril Pro Rock

O trio Eskrota, por sua vez, tomou o palco 1 com chamadas para o feminismo e antifascismo. O show demorou um pouco para começar, mas nada que quebrasse a dinâmica do fest. A apresentação foi enérgica, com destaque ao som “Eticamente questionável”. O batera desceu o braço nos pratos, o que deu muito peso ao som. A vocalista que também é guitarrista mandou riffs impecáveis e todo o carisma da baixista que trouxe aos graves muito metal ao harcore da banda, fazendo um crossover muito bom.

Flageladör é uma banda carioca, mas que já é uma conterrânea. Já vi 5 shows dos caras por aqui, e posso dizer com propriedade de causa: esse foi a apresentação mais brutal dos caras. Sempre fico empolgado com o thrash/speed metal da banda e toda a estética que trazem para o palco é impecável. Ao final do show um dos integrantes acabou caindo. Não sabemos se foi performático ou ele só se desiquilibrou, mas que fechou o show com chave de ouro, é inegável. A detruição estava plantada.

Foto: Abril Pro Rock

Na sequência uma das bandas mais aguardadas da noite começou a apresentação no Palco 2: Manger Cadavre? mandou o papo reto. Lembrando os 23 anos do Massacre de Eldorado dos Carajás, a banda iniciou o set com “Abril Vermelho” em um bloco que contou com “O Homem de bem” e uma música nova (que não me atentei ao nome) antecipando o que virá no novo álbum, que a banda anunciou que sairá no dia 1º de maio. Além da apresentação impecável da banda que teve uma bateria regada a d-beat, riffs que vão do hardcore à palhetadas de black metal, baixo com muita importância na composição das músicas e o vocal potente de Nata Nachthexen, a banda ousou trazer uma mensagem extremamente política ao festival: Quem mandou o vizinho do Bolsonaro matar Marielle?, indagou Nata. Lembrou a reintegração de posse de Pinheirinho e a brutalidade do PSDB em seu estado. Mas o ponto em que a galera foi ao delírio aos gritos de #lulalivre, foi o momento em que a vocalista desenrolou uma impressão com uma ilustração do Bolsonaro com uma suástica na testa. Ela exibiu por alguns momentos e destruiu a imagem. O recado estava dado: FASCISMO SE DESTRÓI!

Foto: Baionetaderosca

Manger Cadavre? (@mangercadavre) em um dos pontos altos (juro!!) das últimas edições do @AbrilProRock!!!#FASCISTASNÃOPASSARÃO pic.twitter.com/JvxPVcYY87— wack-o matic-o™ (@wackomatico) 20 de abril de 2019

Foto: Abril Pro Rock

A apresentação da The Mist no Abril Pro Rock foi emocionante. Os mineiros trouxeram o thrash metal brasileiro que a gente tanto ama com muita empolgação e carisma. Os caras são verdadeiros mestres e merecem todo o respeito. O palco 1 ficou pequeno para a magnitude do som. Destaque para a montagem do palco que criou um clima foda! Os vocais do Vladimir Korg estavam mais brutais que nunca. Esperamos mais shows e vida longa à banda.

A banda mais aguardada por boa parte do público, se apresentou no palco 2: Desalmado. Contra o Estado Fascista e Toda Opressão Religiosa, o vocalista Caio mostrou o porque é considerado um dos maiores frontmans que o metal nacional atual possui. Enfiando o dedo nas feridas, trazendo a política ao palco, ele deu o comando e o público entendeu: FASCISTAS NÃO PASSARÃO. Bateria à velocidade da luz, baixo com muito peso, riffs criativos e extremamente bem executados, além do vocal brutal e potente, Desalmado é um colírio para se ver, ouvir e ler as letras. Haviam muitas pessoas cantando todas as letras da banda e isso é emocionante de se presenciar. É claro que não me segurei e acabei no mosh brutal que esteve presente do começo ao fim da apresentação dos caras. O destaque ficou para o som Bridges to a new dawn, em que as minas arrebentaram no mosh e stage dives. Voltem mais vezes a Recife. Vocês são o nome do deathgrind no Brasil e a postura de vocês é necessária.

Foto: Baionetaderosca

Foto: Abril Pro Rok

Nuclear Assalt começa o seu show no Palco 1 e o circle pit já estava insano desde o primeiro som. Os veteranos do thrash metal destruiram o Baile Perfumado, com sons clássicos que agradaram em muito ao público. Nesse momento eu estava me recuperando do mosh anterior e fiquei assistindo. Mestres serão sempre mestres! Só pedrada com interações junto ao público.

Infelizmente tive que ir embora e não consegui prestigiar os shows do Sanctifier e do Ratos de Porão, mas soube que foi regado a gritos de “Ei, Bolsonaro, vai tomar no cu”. O Ratos tocou o disco Brasil que completa 30 anos e é extremamente atual, além de de mais alguns clássicos. Ou seja, não poderia ter sido melhor.

Nossos cumprimentos a toda organização do festival que provou a competência, com organização impecável, cast brutal, posicionamento ideológico bem firmado e mostrou porque é o maior festival de música extrema do Brasil. Até o ano que vem!

Porão do Rock anuncia atrações da edição 2019

O Porão do Rock, ao lado do Abril Pro Rock, é um festival extremamente importante para a cena independente brasileira. Em atividade desde 1998, o festival tem por objetivo promover o fortalecimento e desenvolvimento do mercado da música independente do Distrito Federal e do Brasil.

A sua produção confirmou algumas atrações e a data em que vai rolar a vigésima-primeira edição.

Para comemorar 21 anos, o evento foi nomeado de Porão 2.1 – Próximo Nível, contando com diversas melhorias e toda sua estrutura inspirada em games, além das 23 atrações nacionais e internacionais que irão passar por lá.

Alguns grandes nomes já foram confirmados e são eles: Nuclear AssaultDemob HappyEdu Falaschi – Temple Of Shadow In ConcertRincon SapiênciaMachete BombAcademia da Berlinda e Rumbora.

Além da geração de mais de mil empregos diretos (produção, equipe técnica, segurança, voluntários, assessoria de imprensa, artistas, fornecedores, etc). Com exceção dos palestrantes, artistas nacionais e internacionais, todos os fornecedores e colaboradores do PDR são oriundos do Distrito Federal, contribuindo assim para o desenvolvimento de toda a cadeia produtiva da música do DF e Entorno.

Por meio da ONG Porão do Rock – e em parceria com outras entidades da sociedade civil -, ainda realiza uma série de campanhas sócio-educativas a cada ano. E faz parte do Calendário Oficial de eventos da cidade de Brasília, com a aprovação da Lei nº. 3.844, de 13 de Abril de 2006, sancionada pelo Governo do Distrito Federal.