Raiva, Revolta e Melancolia Como Os Elementos Fundamentais Para O Som Pesado em 2021 | Melhores Lançamentos do Ano

A pandemia arrebatou a vontade de muita gente. Não é pra menos, visto que perdemos familiares, amigos queridos, pessoas que amamos ou que admiramos. Somos em essência seres sociais e, para nossa proteção, privados do coletivo, perdemos muito daquilo que somos. Aqui mesmo no O Colecionador, perdemos os braços de parte da equipe que, por sua vez, perdeu o sentido em trabalhar para a cena independente. Mas esse estado de hibernação em que fomos colocados e seus sentimentos que surgiram como consequência foi a gasolina necessária para que muitas bandas criassem (e digo com toda a certeza do mundo, visse) uma das melhores safras de álbuns e EPs dos últimos 10 anos. Dito isso, vamos aos lançamentos mais expressivos de 2021.

Recomenda-se o play nas 20 faixas que selecionamos para acompanhar a leitura.

Álbuns

Nervosa “Perpetual Chaos”

A nova formação da banda (o dream team) trilhou a sonoridade de volta para a proposta inicial naquilo que o Nervosa faz de melhor: thrash metal visceral e até uma pitada de hardcore no trabalho. Perpetual Chaos é o ponta pé inicial que virou um golaço, mas na goleada que está por vir, temos certeza que virão bicletas.

Crypta “Echos of the Soul”

A nova banda de Luana e Fernanda Lira (Ex-Nervosa) já chegou com uma formação de peso, que somou forças à Tainá e Sônia Anubis nas guitarras. Echos of The Soul é um death metal com muitas referências a Morbid Angel e riffs homéricos na melhor pegada do Black Metal.

Desalmado “Mass Mental Devolution”

Álbum que fez o Desalmado despontar pra fora do Brasil, tanto que a banda já está com shows agendados na Europa, com destaque ao Obscene Extreme e na América Latina. MMD é o abandono do grindcore e o abraço ao metal extremo, principalmente ao Death e ao Sludge, mas a porradaria continua viva nas veias da banda.

Manger Cadavre? “Decomposição”

Decomposição marca um salto gigantesco na evolução do som do Manger Cadavre?. Com o vocal mais visceral de Nata, pedais duplos na medida certa de Marcelo, riffs insanos de Paulinho, e os graves de Bruno, as composições vem numa pegada mais metal punk, lembrando muito Disfear e Wolfbrigade e com elementos do death metal, como Obituary e Gatecreeper.

Sangue de Bode “Seja Bem Vindo De Volta Pra Cruz”

Com 15 faixas, o trabalho mostra um amadurecimento dos integrantes e uma preocupação maior com a produção das músicas. “Seja Bem Vindo De Volta Pra Cruz” é um álbum extremo. Temos death, black metal, mas também temos referências ao hardcore e ao new metal nas composições.

Bode Preto “Goat Spells”

Terceiro álbum completo da banda de metal extremo que conta com membros rotativos. Com um reconhecimento maior fora do país que dentro, o Goat Spells fez o público brasileiro finalmente conhecer e agraciar o seu black metal poderoso.

Corja! “Insulto”

“Insulto” é o primeiro álbum da banda de Fortaleza Corja!. Só consegui dar a devida atenção ao trabalho, depois de ter ficado impactado com toda a potência da vocalista Haru Cage na apresentação no Canal Scena. Temos groove metal, metalcore e um pouco de new metal na sonoridade do trabalho. Acreditamos que a banda seja um dos próximos expoentes do metal nacional.

Ankerkeria “Matriarchy”

Um dos nomes que deveriam ter aparecido mais em 2021 é o do Ankerkeria, que no início de 2021 lançou o excelente “Matriarchy”. Se você é fã de death metal técnico, djent e metal progressivo, essa é uma audição obrigatória e a exaltação do talento dessa banda de Fortaleza se faz necessária.

Nervochaos “Dug Up (Diabolical Reincarnations)”

A máquina do metal morte Nervochaos não para! Essa, que é uma das bandas mais ativas no país, trouxe um álbum excelente para os apreciadores do som extremo. Ocultismo aliado ao death e ao black metal com passagens repletas de peso e técnica.

Viollen “What to Kill For”

Álbum de estreia da banda de thrash metal antifascista de Fortaleza. Com oito faixas extremamente enérgica, coloca a banda em destaque no cenário nacional.

Rot “Organic”

O álbum conta com 25 faixas repletas do ódio necessário na composição de todo clássico de grindcore. Último trabalho gravado pelo grande Alexandre Bucho, que faleceu em decorrência da Covid-19.

Cerberus Attack “Abyss Of The Lost Souls”

O Abyss of Lost Souls” colocou a banda no radar da galera do colete cheio de patchs e do tênis branco de cano alto. Enérgico do começo ao fim, e com a participação ilustre de Caio Augusttus do Desalmado na faixa que dá título ao álbum, mostra que a banda tem tudo para se tornar um dos grandes nomes do thrash nacional e quem sabe caia nas graças do mundo.

Aneurose “Made in Rage”

A banda mineira voltou a produzir com tudo! De todos os sons do brutal “Made in Rage”, três faixas ganharam clipes muito bem feitos. O álbum tem elementos muito marcantes do thrash metal e de outras vertentes de som. Se você curte as sonoridades do Pantera, essa é a banda pra você.

Mountain Chicken “You´re Going To Brazil”

A descoberta do ano foi desse álbum da banda que é natural de Brasília/DF. Apesar da pouca idade, os integrantes mostram uma técnica e criatividade ímpar. Som instrumental, prog metal com djent e qualidade nas alturas.


EPs

Heuristica “Paramont Symetry”

Excelente EP que saiu em novembro. Heuristica é um duo situado na Irlanda mas que conta com os brasileiros Igor e Maysa. O Ep conta com quatro faixas de puro death metal em sua pegada mais técnica e com elementos progressivos. É o jazz do metal!

The Mist “The Circle of the Crow”

Até o momento da publicação dessa lista, foram lançadas apenas duas das quatro músicas do novo EP, mas só pela My Inner Monster e pela Over My Dead Body, o lançamento precisava figurar entre os melhores do ano. Temos aqui o thrash metal que o brasileiro tanto ama.

Troomps of Doom “The Absense of Light”

EP temático, com músicas interligadas entre si, mostra que a banda liderada pelo grande Jairo está pronta para ganhar o mundo. Brutalidade na bateria, riffs marcantes, vocal excelente, graves preenchendo nossa alma com escuridão.

Surra “Ninho de Rato”

Com, 12 faixas em sua maioria com menos de 1 minuto, sendo dois covers, a tentativa de um EP de grindcore do Surra foi muito bem sucedida. Ódio extremo e velocidade da luz são os principais elementos do lançamento.

Singles

Forceps “Anthropoviral Amalgamation”

Após um longo período sem novos lançamentos, a banda de death metal carioca liberou o single e o clipe de  “Anthropoviral Amalgamation”, som com letra ao melhor estilo Mad Max, em um futuro distópico nem tão distante assim. Som brutal e evolução sonora marcam a música.

Invisible Control “Cold Blood”

Single de estreia da banda com integrantes de diferentes localidades do nordeste brasileiro. Death metal mesclado com outros elementos somados aos vocais viscerais de Daniela Serafim.

Drowned “Hail Captain Genocide”

Rapidez, agressividade e peso fazem parte da fórmula mágica da banda mineira de death/thrash Drowned e o single “Hail Captain Genocide” ainda conta com a revolta contra ao desgoverno atual que levou a vida de mais de 600 mil pessoas em nosso país.

Sinaya “After Life”

Com uma nova formação, a banda Sinaya resolveu incorporar novos elementos do hardcore ao seu death metal. Afterlife é um single de deathcore que conta com a participação de CJ MacMahon e é indicada a fãs de Down pelos riffs muito bem feitos.

Até 2022! Boas festas a todos e cuidem-se.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s