A Renovação da Cena: Entrevista Com Berro Mote

Grande é a minha procura por bandas com integrantes que tenham menos de 25 anos. A música extrema envelheceu e as poucas bandas da gurizada enfrentam enormes dificuldades em conseguir espaço e visibilidade. Seria esse um dos motivos pelos quais o rock em geral envelheceu? Não sabemos, mas o que fazemos é dar espaço para as novas bandas e estimulamos que a cena se renove cada vez mais! Por isso, hoje apresento em entrevista, a banda Berro Mote, que faz um hardcore crust antifascita visceral!

Vocês todos são muito jovens em uma cena envelhecida, na qual quase não vemos
bandas renovadas. Contém um pouco sobre a ideia de montar a banda, e esse início.

João Neto: É curioso como a banda se formou, né? O Paulinho guitarrista da Orgasmo
de Porco se encontrou comigo e o Lewi uma vez e perguntou se eu tinha banda para
um evento que ele estava organizando. Em um mês a banda é formada com o nome
Necronoise para fazer apenas um show e contou com o Lewi na guitarra, Gustavo
Maia na bateria e eu no baixo e vocal, um tempo depois a banda se encerrou, mas
deixando uma lembrança, pois a guitarra usada era do próprio Paulinho que nós
vendeu por 10 reais e a usamos até hoje na Berro.

Bruno: Eu na época, tinha uma amizade com o Lewi e conhecia o João e com isso já
estava acompanhando-os.
Colei no show deles e achei uma loucura que queria participar daquilo, principalmente
porque estavam precisando de um baixista. Semanas após o show o João não queria
mais saber de banda, rock e afins e eu consegui a conhecê-lo a tocar novamente.
Nesse meio tempo já começamos a ensaiar e nisso implantar várias ideias para
seguirmos seriamente com a banda. E vendo que faltava um baterista, chamei o
Rafael, que somos amigos desde época de escola e que tem uma idade próxima da
gente, então não tinha como não convidar.

O que significa o nome Berro Mote?

João Neto: Bom, não vivemos só de músicas extremas. Eu estava ouvindo muito
Belchior e lendo a respeito sobre a vida e os poemas de Torquato Neto. O “Berro” vem
de uma citação de Torquato quando ele fala que as pessoas precisam berrar “…E
fique sabendo: quem não se arrisca não pode berrar. citação: leve um homem e um
boi ao matadouro. o que berrar mais na hora do perigo é o homem, nem que seja o
boi. adeusão.” Já o “Mote” que é muito popular nos cordéis, ficou por conta do primeiro
álbum de estreia de Belchior “Mote e Glosa” onde seus primeiros poemas curtos
viraram canções. Nossas letras são curtas e berramos, por isso Berro Mote.

A banda faz um grind-hardcore, tendo como primeiro registro o EP “Jornal Policial”.
Fale um pouco sobre o processo de gravação desse material.

Lewi: As músicas foram gravados no estúdio do Thiago Roxo (Lo-Fi Punkrock) em
março de 2020 e “acidentalmente” virou um EP, pois era pra fazer apenas parte de
um split com a banda Sorry For All de Socorro – SP, porém veio a pandemia e a nossa
gravação já estava pronta e com isso optamos em lança-la, até por conta da
abordagem das letras que tem uma questão mais de política social, que tinha muito a
ver com o que estava ocorrendo no país na época. Na Jornal Policial canção título por

exemplo, criticamos os jornais sensacionalistas que ganham audiência em cima das
dores das famílias e vendendo uma moralidade que nem eles mesmo seguem.

Vocês lançaram o clipe de “Decapitar fascistas” em forma de animação, que ficou
fuderoso. Conte um pouco sobre ele.

Bruno: Foi meio inesperado, pois estávamos parados por conta da pandemia e
precisávamos de um material para manter a banda em relevância, daí apareceu o
Gabigorfo (AnimaToxic), que além de ter feito a capa do nosso EP, trouxe a ideia em
forma de animação. Bom, juntamos o útil ao agradável o momento estava caótico
(ainda está) com as declarações do presidente e pelas coisas que estavam rolando
pelo mundo e um clipe animado transmitindo tudo isso que estamos passando prende
atenção das pessoas, ainda mais com a música Decapitar Fascista não teria como
ficar ruim, passamos a mensagem de forma clara e direta.

Quais são as maiores influências da banda? E quais bandas nacionais vocês
acham que todos deveriam conhecer?

É um pouco de tudo, só na nossa cidade e nos arredores podemos dizer que
crescemos ouvindo, Orgasmo de Porco, Lo-Fi Punkrock, Manger cadáver?, PSG,
Devastação Sob Terror, Discorde, Cruento e por aí vai… Sobre as bandas que todos
deveriam conhecer, Sorry For All que já estão na caminhada há um tempo, os menino
doido do Days Of Hate e os firmeza do Cabra.

Vocês são uma banda totalmente DIY. Falem um pouco sobre a importância da
produção independente, e suas dificuldades.

Rafael: Aqui em SJC sempre representou bem a região do Vale do Paraíba em
quesitos de produção independente, onde já colamos em diversos rolês com sempre
um pessoal diferente organizando. Porém nos últimos anos tem diminuindo bastante
os shows aqui, até porque cada vez mais existe menos lugares para as bandas se
apresentar, principalmente no vale do paraíba, que existe muitas banda boas e vimos
uma oportunidade de fazermos o nosso próprio role, que seria a Berro Fest, onde a
principal proposta é abrir espaço pra bandas que estão começando e muitas vezes
fazer o primeiro show e ter o contato com o público e bandas que já estão na estrada.
Após a pandemia queremos fazer mais edições e torcer que tenha novos espaços
para a cagalera começar organizar mais rolês, algo que é essencial pra toda cena.

A banda é claramente antifascista. Já sofreram algum boicote por isso? Qual é a importância de firmar esse posicionamento atualmente.

João Neto: Não e espero que nunca aconteça, afirmamos a nossa posição desde
sempre. Infelizmente, sabemos que existe pessoas más intencionadas que atrasa o
rolê com ideia torta. Já vimos punks e bangers que só repetem os discursos do
Bolsonaro e ainda dizendo que não se mistura som com política. Isso só deixa mais
evidente que temos que misturar sim! Não devemos abaixar a cabeça, pois esse tipo
de galera só fica na internet enchendo o saco.

Muito obrigado pela atenção. Esse espaço é de vocês. Deixem contatos e as
considerações finais.

De todos: Muito obrigado pelo espaço cedido e a todos que colaram nos nossos
shows, nos apoiaram nesse primeiro ano de banda, pois, underground não se faz
sozinho. Então, apoiem da forma que conseguirem, comprando merch, ouvindo
principalmente a banda, quando for possível colar nos eventos e sempre compartilhar
cada novidade porque os trampos são feitos pra chegar o mais longe possível.
Abração!!!

Acompanhe nosso trampo pelos canais:

YouTube: https://youtu.be/HvLGUBmPYk4
Spotify: https://spoti.fi/35dKJV3
Deezer: http://bit.ly/BerroDeezer
Instagram: https://www.instagram.com/berromote/
Twitter: https://twitter.com/BerroMote

FACA PRETA DESMASCARA O FASCISMO NO VIDEOCLIPE DA INÉDITA “DIAS MELHORES”

FACA PRETAFoto: Antonio Augusto


A banda punk rock paulistana Faca Preta lançou o videoclipe de seu um novo single intitulado “Dias Melhores”, dirigido por Marco Antônio Ferreira e produzido por Camila Justino. 

O guitarrista Anderson Boscari conta que a música faz uma reflexão sobre o avanço da extrema direita no Brasil e no mundo, e a maneira como as pessoas se revelaram nesse momento. “Pessoas que nunca imaginávamos, acabaram demonstrando uma face sombria, que sempre esteve escondida dentro delas. A faixa fala sobre como é estranho se reconhecer em meio à tanta gente perversa e avessa aos direitos mais básicos dos seres humanos, e de como a elite realmente enxerga a classe trabalhadora. Apesar de estarmos vivendo um dos momentos mais obscuros da história, dias melhores virão, com certeza. Não devemos parar de lutar”, afirma.

A ideia para o videoclipe, segundo Marco Antônio Ferreira, é retratar como a tecnologia aparece nesse cenário sendo um reforço para a atuação do fascismo. “Com o avanço da tecnologia, as fakenews foram base para as pessoas que acreditam nessa ideologia. Atrás de máscaras, que se impõe através da violência, criaram uma milícia digital que se instalou com a ilusão de que calaria o povo. Porém, a liberdade sempre começou no caos, no grito de saturação do pensamento do oprimido, e ao invés de nos calar, nos deu mais força para lutar”, reflete o diretor.

Formada em 2013 por músicos experientes do circuito underground, o Faca Preta lançou o primeiro EP em 2015 pelo Semper Adversus, extinto sub selo de street punk da Hearts Bleed Blue (HBB). Desde então a banda vem sendo um grito de resistência na voz punk rock brasileira.

“A história nos ensina que em momentos de crise, a crueldade capitalista se acirra para que os privilégios da classe dominante permaneçam. Temos assistido à pulverização da mínima rede de proteção aos mais pobres. Então, o momento tem que ser de união, afinal o que já estava sendo implantado desde a eleição desse governo fascista se agravará e se deixarmos as pequenas diferenças nos dividirem, a estratégia de quem lucra com a nossa desgraça vencerá”, completa o guitarrista Dudu Elado.

Assista “Dias Melhores”:
https://youtu.be/Oh3VCPPByiQ

Blackdome lança novo single mixado por Kevin Shirley na edição de Novembro do “Roadie Crew – Online Festival”

“Starmaker” é o primeiro trabalho da banda desde o lançamento de seu álbum de estreia, “The Chaos Suite”, em 2016


Atualmente formada por Cleiton Rodrigues (Vocal), Felipe Colenci (Guitarra), Fabio De Borthole (Baixo), Theo Queiroz (Bateria) e Francisco Rangel (Teclados), a Blackdome, banda de heavy metal de Sorocaba/SP, prepara-se para o lançamento de seu novo single, “Starmaker”, primeiro trabalho da banda desde seu álbum de estreia, “The Chaos Suite”, de 2016.

Gravada nos estúdios Fuzzr sob produção de Felipe Colenci, “Starmaker” foi mixada por ninguém menos que Kevin Shirley, o “The Caveman”, produtor sul-africano famoso por trabalhos com algumas das maiores lendas do rock de todos os tempos como Led Zeppelin, Iron Maiden, Rush e Journey.
“Desde o primeiro e-mail, o Kevin foi muito cordial com a gente”, conta o guitarrista e produtor Felipe Colenci. “Enviei as tracks separadas para ele e em aproximadamente uma semana ele nos devolveu a música mixada. Foi muito foda ouvir uma composição e produção minha mixada por um dos grandes mestres da música mundial! Ficou sensacional! Vale ressaltar que gravamos essa faixa no esquema “pandêmico”, ou seja, cada um em sua casa, e mesmo com as dificuldades de captação das tracks, a mix ficou incrível”.

“Starmaker” será lançada no dia 13 de Novembro durante a oitava edição do “Roadie Crew – Online Festival” que, além do Blackdome, contará com outros grandes nomes da cena nacional como Vulcano, Pastore, Holocausto, Tribal Scream, etc.
“Starmaker marca nosso retorno, mas também uma busca por uma sonoridade mais tradicional e menos prog do que fizemos no álbum The Chaos Suite, algo mais conectado com nossas origens como fãs de heavy metal. Não quer dizer que daqui pra frente deixaremos de lado nossa veia progressiva, mas neste momento queremos ser mais heavy/power metal tradicional – e logo lançaremos mais sons! Estamos muito felizes que Starmaker vai ser lançada no festival da Roadie Crew, que também faz parte da história de todos os headbangers brasileiros! A nossa nova parceria com a Som do Darma também já está rendendo frutos e esperamos poder tocar em muitos lugares assim que tudo voltar ao normal. Esperamos que todos curtam Starmaker tanto quanto a gente!”, completou Colenci.
Além do vídeo para o “Roadie Crew – Online Festival”, “Starmaker” também estará disponível em todas as plataformas de música a partir da mesma data. A arte da capa do single é assinada pelo artista Carlos Fides que já trabalhou com o Blackdome em “The Chaos Suite”, além de outras bandas renomadas como Evergrey, Kamelot, Noturnall, etc.

Enquanto não chega a sexta-feira 13 de Novembro, assista o videoclipe da faixa título de “The Chaos Suite”, dirigido pelo renomado Alex Batista: https://youtu.be/vLjk1cw6iYY

Mais Informações:www.facebook.com/blackdomeband
www.instagram.com/blackdomeband
www.youtube.com/blackdomeband

Press Release:

Eliton Tomasi – SOM DO DARMA

eliton@somdodarma.com.br  

www.somdodarma.com.br  

(15) 99134-3443

Informações para Imprensa:

Susi dos Santos – SOM DO DARMA

susi@somdodarma.com.br

www.somdodarma.com.br

(15) 99117-6613

Crédito Foto: Divulgação

Carioca Forceps leva Death Metal ao Festival Online Extreme Sound Records nesta sexta 13

Carioca Forceps leva Death Metal ao Festival Online Extreme Sound Recordsnesta sexta 13

Da esq: Emmanuel Ivan (baterista), Doug Murdoch (vocal), Bruno Tavares (Guitarrista), Thiago Barbosa (Baixista) – Crédito: Daniel Croce

Sexta-feira (13) é dia do death metal do Forceps passar pela primeira edição do Festival Online Extreme Sound Records, selo e gravadora especializada no gênero e que agora promove mais um espaço para bandas continuarem mostrando música em tempos de shows suspensos. As apresentações, que começam as 20h, acontecem no youtube.com/extremesoundrecords.

A Extreme Sounds foi uma das responsáveis por lançar o álbum Mastering Extinction (2017), o mais recente do Forceps, quarteto que é oriundo do Rio de Janeiro e está na estrada desde 2006. Ao lado do Forceps, se apresentam as bandas nacionais e internacionais Incognosci, Verthebral, Sangre, Sacramentia Reversed, Coyote BadTrip, Dark Tower, Voracce, Ancestral Malediction, Disruption Path e Madness. 

O evento contará também com falas de Max Kolesne (Krisiun), Silvio Golfetti ( Ex-Korzus / Voice Music), Luiz Louzada (Vulcano), Fernanda Ferrer (Atriz e Apresentadora), Jéssica Mar (Jornalista/Colecionadora), Thiago Zóio e Davi Araújo (Programa Metal Mania) e interação das bandas com o público durante a transmissão pelo Youtube e pelo  Facebook ‘Eu Apoio o Metal Nacional’. São parceiros do festival  a Reverbera Music Media e Estúdio 4ALL.

Sobre Forceps

Musicalmente influenciados por elementos diversos do Death Metal, como Brutal Death Metal, Grindcore e Technical Death Metal, Forceps traz em suas letras uma visão catastrófica do futuro debatendo e criticando a relação humana consigo e com o planeta.

Em seus 14 anos de estrada, Forceps fez shows pelo Brasil e uma turnê de 25 datas nos Estados Unidos. Já dividiu o palco com Cannibal Corpse, Napalm Death, Hatebreed, Brujeria, Krisiun, Torture Squad e Claustrofobia.

Na discografia tem “Corporeality” (2010), “Humanicide” (2012) e Mastering Extinction (2017). Forceps é Doug Murdoch (vocal), Emmanuel Ivan (bateria), Thiago Barbosa (baixo) e Bruno Tavares (guitarra).

Serviço

Forceps no Festival Online Extreme Sound Records
Dia: 13 de novembro

Hora: 20h

Link para assistir:
bit.ly/youtube-extreme-sound-records

Mais de Forceps
www.forceps.com.br

facebook.com/Forceps

instagram.com/forcepsofficial

bit.ly/youtube-forceps

ImprensaAgência 1a1 | Media For Music
Isis Correia: (11) 9.8631-3656www.agencia1a1.com.br

Nando e Sebastião Reis falam sobre experiências no mercado da música no Autoral Brasil Kiss FM dessa 5ª


Nando Reis (Crédito: Vivi Bacco)

Nesta quinta-feira (12) o Autoral Brasil da Kiss FM recebe a dupla de pai e filho Nando e Sebastião Reis para um papo ao vivo sobre suas experiências no mercado da música, às 20h, pelo dial 92.5FM e youtube.com/radiokissfmoficial.

Nando Reis, 57, é paulistano e por 20 anos esteve à frente dos Titãs como baixista. Ao deixar a banda em 2002, seguiu uma brilhante carreira solo que soma mais de 10 discos lançados, 12 indicações ao Grammy – 3 vencidos – e 6 milhões de cópias vendidas.

Multiinstrumentista, também foi produtor musical de Cássia Eller e dirigiu seu Acústico MTV, disco clássico da cantora. Pai de cinco, avô de 3, único ruivo dos irmãos, Nando é autor de canções eternizadas como “Relicário”, “All Star” e “O Segundo Sol”.

Sebastião Reis, 25, é paulistano. Começou a tocar violão na adolescência e nunca mais parou. Ao lado de seu irmão Theo forma o 2Reis, que tem um disco homônimo lançado em 2017. Participou das gravações do primeiro disco solo de Beto Bruno, ex-vocalista da Cachorro Grande.

SebastiãoReis-FotoCarolSiqueira.jpg

Sebastião Reis (Crédito: Carol Siqueira)

Sempre acompanhou o pai nos palcos em ocasiões especiais, mas este ano Sebastião assume os violões ao lado de Nando de uma maneira especial, dando uma outra faceta interpretativa a canções que ficaram perpetuadas na voz do poeta ruivo. 


Serviço  

Programa Autoral Brasil Kiss FM recebe Nando e Sebastião Reis

Quando: 12 de novembro

Horário: 20h

Onde: Rádio Kiss FM 92.5 (SP) e para o mundo todo em 

Sintonize:

São Paulo 92,5FM

Campinas 107,9FM

Litoral Paulista 102,9FM

Goiás e Distrito Federal 98,3FM

Rio de Janeiro 98,3FM

Redes:

youtube.com/RadioKissFMOficial

instagram.com/autoralbrasilkissfm
facebook.com/autoralbrasilkissfm

autoralbrasil.com.br

Assessoria de Imprensa – Autoral BrasilAgência 1a1 | Media For MusicIsis: (11) 9.8631-3656www.agencia1a1.com.br

Em mais uma edição, “Roadie Crew – Online Festival” legitima a hegemonia da cena contemporânea de heavy metal no Brasil

Em mais uma edição, “Roadie Crew – Online Festival” legitima a hegemonia da cena contemporânea de heavy metal no Brasil
Em oito edições, mais de 120 bandas já passaram pelo festival, o que tem tornado mais evidente a pluralidade e qualidade da produção criativa de metal do país

A revista Roadie Crew, em parceria com a produtora Som do Darma, apresentam na sexta-feira, dia 13 de Novembro, às 19h30, a oitava edição do “Roadie Crew – Online Festival”.

O evento online, realizado mensalmente, dá continuidade à sua missão de celebrar e promover o trabalho das bandas brasileiras e fortalecer a cena do heavy metal nacional, sempre com transmissão “Streaming-Live” exclusiva pelo canal oficial da Roadie Crew no Youtube – www.youtube.com/roadiecrewmagtv

Até aqui, mais de 120 bandas já passaram pelo festival, e centenas de outros grupos aguardam para se apresentarem em futuras edições. Isso tem tornado evidente que o Brasil tem, atualmente, quantitativa e qualitativamente, uma das melhores cenas de heavy metal do mundo, com todo respeito ao passado histórico das cenas de países como Inglaterra, Estados Unidos, Alemanha, Suécia, Noruega, entre outros.

Essa oitava edição, referente ao mês de novembro, traz 16 bandas, todas apresentando conteúdo exclusivo e inédito. Os vídeos, um por banda, continuam sendo produzidos pelos músicos em suas casas, entretanto, com as medidas de flexibilização e reabertura gradual da economia, algumas bandas passaram a registrar seus vídeos ao vivo em estúdio.

As bandas confirmadas para esta edição são: Vulcano, Holocausto War Metal, Azul Limão, Pastore, Tribal Scream, Ancestral Malediction, Petallom, Panndora, Scalped, Expose Your Hate, Darkside, Blackdome, Hate By Hate, Ossos Cruzados, Setfire e Scud.

Os músicos de algumas das bandas participantes estarão online interagindo com o público durante a transmissão pelo Youtube. Essa edição também trará novidades com relação a dinâmica do festival e as apresentações dos blocos.

Acesse www.youtube.com/roadiecrewmagtv e se inscreva em nosso canal. Ative o sininho para receber todas as atualizações.

Serviço:
“Roadie Crew – Online Festival” – 8ª Edição
Data: 13 de Novembro de 2020
Horário: 19h30
Local: Canal da Roadie Crew no Youtube – www.youtube.com/roadiecrewmagtv
Bandas: Vulcano, Holocausto War Metal, Azul Limão, Pastore, Tribal Scream, Ancestral Malediction, Petallom, Panndora, Scalped, Expose Your Hate, Darkside, Blackdome, Hate By Hate, Ossos Cruzados, Setfire e Scud.
Horários No Exterior (Time Zone): November 13th – 05:30 pm – Lima, Quito, Bogotá, Monterrey Time| November 13th – 06:30 pm – Santiago, La Paz, Asuncion, Havana, New York Time | November 13th – 07:30 pm – Buenos Aires, Montevideo Time | November 13th – 11:30 pm – London Time | November 14th – 12:30 am – CET and Johannesburg Time | November 14th – 01:30 am – Moscow Time | November 14th – 02:30 am – Dubai Time | November 14th – 05:00 am – New Delhi Time | November 14th – 06:30 am – Hong Kong Time | November 14th – 7:30 am – Tokyo Time | November 14th – 8:30 am – Sidney Time

Mais Informações:
www.roadiecrew.com.br
www.somdodarma.com.br
https://fb.me/e/387QhW3Ar (Evento Facebook)

O mercado de eventos acabou? Uma reflexão sobre o setor

O sucesso de um show, espetáculo, festival ou feira está diretamente relacionado com a circulação de público. Sendo assim, desde que medidas de distanciamento social para conter a pandemia do novo coronavírus foram colocadas em prática no Brasil, em março de 2020, o setor de eventos está entre os mais prejudicados. Justamente pela característica de promover o encontro entre pessoas deve seguir em um cenário de incertezas e prejuízo, pois mesmo uma retomada exigiria protocolos que restringem o número de gente na plateia e também de profissionais envolvidos na organização. É justamente esse segundo grupo, conhecido por “graxa” e fora de cena há mais de seis meses, que tem sofrido nos bastidores. Enquanto a crise no setor já é notória, uma gama de trabalhadores que atuam no meio (como roadies, iluminadores, produtores, assistentes de palco, seguranças etc) sofre sem reconhecimento. E diferentemente de quando estão em ação nas coxias, em que o anonimato é condição para o bom andamento dos trabalhos, a invisibilidade do momento só revela falta de perspectiva e de políticas adequadas para atravessar a fase ruim.

Com o intuito de discutir o momento vivido pelo mercado de eventos, o produtor técnico Sergio Caldas resolveu lançar luz sobre as dificuldades enfrentadas por prestadores de serviço da área em um vídeo. O material traz declarações de trabalhadores do setor e problematiza a situação atípica. A ideia surgiu de conversa com amigos e colegas do meio.

— Esse filme é uma reflexão surgida de conversas com amigos que trabalham no setor que, assim como eu, foram seriamente afetados por essa parada brusca nas atividades. Milhares de profissionais ficaram sem trabalho e sem perspectiva, e ainda não existe um plano de retorno. Isso nos faz questionar as condições de trabalho no mercado e também o futuro das nossas carreiras — avalia o Sérgio, que também atua como diretor e produtor audiovisual.

Conforme pesquisa nacional, feita pela União Brasileira dos Promotores de Feiras (Ubrafe) e a Associação Brasileira de Empresas de Eventos (Abeoc), em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), 98% do setor de feiras, congressos e eventos foi afetado pela paralisação das atividades devido ao covid-19. O estudo foi divulgado em abril e teve participação de mais de 2,7 mil entrevistados. Cerca de 62,5% das empresas esperavam reduzir o faturamento entre 76% e 100%, outras 9% previam queda de receita de 51% a 75%, enquanto 4,5% alegaram que o faturamento iria cair entre 26% e 50%.

É preciso destacar que esses números têm relação direta com 7,5 milhões de empregos (diretos, indiretos e terceirizados), de acordo com o II Dimensionamento Econômico da Indústria de Eventos no Brasil — 2013, realizado pelo Sebrae. A mesma avaliação revela ainda que o setor responde por 4,32% do PIB nacional.

O show deve continuar. Mas como?

Assista ao vídeo aqui: https://bit.ly/34PNjjX.

Black Pantera lança EP audiovisual dia 20 de novembro

Black Pantera lança EP audiovisual dia 20 de novembro

Sempre envolvidos com o movimento negro, os integrantes da banda mineira de hardcore Black Pantera aproveitaram uma pausa nas gravações do novo álbum para lançar o EP Capítulo Negro, em comemoração ao Dia da Consciência Negra.

A banda escolheu três músicas com discurso forte sobre empoderamento, fazendo novas versões para ‘Identidade’ (Jorge Aragão)‘Todo Camburão Tem Um Pouco de Navio Negreiro’ (Alexandre Meneses/ Marcelo Lobato/ Marcelo Yuka/ Nelson Meirelles), sucesso do álbum de estreia d’O Rappa e ‘A Carne’ (Marcelo Yuka/ Seu Jorge/ Ulisses Cappelletti), conhecida na voz de Elza Soares.

Como as músicas estão ligadas pelo mesmo tema, racismo e luta contra o preconceito, a Black Pantera também produziu um curta de 12 minutos, dirigido por Leonardo Ramalho, da Pajé Filmes, que já fez anteriormente os clipes de ‘Punk Rock Nigga Roll’ e ‘I Can’t Breathe’, lançado como um protesto inflamado pelo assassinato de George Floyd, em junho. O ator Edson Militão participa do 3 atos do filme, cada um com a trilha de uma das canções que compõe o EP.

‘Captíulo Negro’ será lançado dia 20 de novembro, pela Deck.

https://www.youtube.com/embed/Kh3mQYf8W-E?version=3&rel=1&fs=1&autohide=2&showsearch=0&showinfo=1&iv_load_policy=1&wmode=transparent

Postmortem Inc.: clipe ‘State of Conspiracy’ inaugura disco de inéditas

Está no ar o novo clipe ‘State of Conspiracy’ da banda Postmortem Inc.,single que inaugura o álbum ainda inédito ‘The Conqueror Worm’ com lançamento marcado para os próximos meses.

Assista State of Conspiracy
https://www.youtube.com/watch?v=hnrYd3jMRkg

‘State of Conspiracy’ é uma crítica sobre a alienação da população por ações globais dos governos que visam o controle das massas. “É um chamado a revolta e a luta. É preciso tomar partido, pois o tempo de isenção acabou”, diz a banda.

‘The Conqueror Worm’ tem lançamento marcado para o final do ano e a criação e o desenvolvimento do disco ganharam um documentário chamado ‘The Conqueror Worm e a Pandemia’. O doc está no ar no canal da banda e mostra todas as etapas de concepção do álbum, desde a ideia inicial até a banda ser paralisada por conta da pandemia do Covid-19.

Postmortem Inc, quarteto gaúcho de Pelotas, está na estrada desde 2004 com seu Death Metal. À frente da banda estão Bruno Añaña (vocal e guitarra), Douglas Veiga (bateria), Mou Machado (guitarra) e Juliano Pacheco (baixo).

Na discografia têm a demo ‘Out of Tomb’, os EPs ‘Atra Mors’, ‘Within the Carcass’, ‘Confront Your Fears/Warfield Earth’ e o split ‘Sepulcro Eterno’. Dividiu shows com grandes nomes da música extrema como Dark Funeral, Possessed, Obituary, Krisiun e Ratos de Porão.

Postmortem, nome original da banda foi inspirado na música homônima do Slayer, grande influência no início da carreira. Recentemente o Postmortem acrescentou ‘Inc’ ao nome e passa agora a ser Postmortem Inc.

A banda passeia por algumas camadas do som extremo com inspirações no death metal old school, como o das bandas Deicide, Death, Cannibal Corpse, e principalmente Morbid Angel, mas traz a brutalidade do metal extremo moderno às composições. Nile e Krisiun são referências para doses de velocidade e técnica.

Siga Postmortem Inc
instagram.com/postmortem.inc
youtube.com/Postmorteminc
facebook.com/postmorteminc
postmortem.bandcamp.com