Resenha: Split Aphorism x Rabujos

O ano de 2019 tem nos presenteado com ótimos lançamentos. Entre, álbuns, singles e EPs, as bandas Aphorism e a Rabujos apostaram no bom e velho split!

As músicas do Aphorism foram gravadas por Dill Pereira no estúdio Ruído Rosa em Salvador, Bahia, Brasil entre Janeiro e Fevereiro de 2019. Já as do Rabujos foram gravadas por Pedro Santos e Rodrigo B. Nery no LL Studio em Recife, Pernambuco, Brasil, em Março de 2019.

O travalho foi mixado e masterisado por Miguel Tereso no estúdio Demigod Recordings em Caxarias, Portugal em abril de 2019 

Ja a arte da capa foi assinada por Ars Moriendee.


O split se incia com o Rabujos, com um soco que é o som “Os Horrores que eu lhe digo”, que conta com muito peso no instrumental e um vocal furioso. Com pouco mais de um minuto, “A era dos extremos” trata da religiosidade de uma fé perdida. “Opala” é um som que conta com muita raiva. “Marta” é o som que se destaca, com algumas quebras no instrumental, os riffs tortos soam muito bem. “Censura” por sua vez é outra som diferente que nos agradou muito, ” Escuro, escuso, excluso, ex-tudo, expurgo” é a frase que fixa na mente. Curiosamente, a banda optou por realizar um cover do Aphorism. “Luzes do Chaos” fecha com desespero os seis sons da banda que passam rápido, porém deixam impacto. Os nossos conterrâneos de Recife merecem todo o reconhecimento pelo trabalho que está impecável.

A Aphorism começa seus sons com o vocal urrado demoníaco em “Em chamas”, um som sobre desesperança e dor, mas que propõe a superação das perdas usando a raiva. “Engodo” começa com uma intro muito bem trabalhada, com destaque as riffs com uma melodia que seguem o caos do vocal, que traz o hálito do mentiroso. “Solitude” tem os elementos clássicos do death metal e é um dos pontos altos dos sons da banda. “Desalento” conta com uma bateria típica do deathgrind e com certeza será um dos sons que empolgarão o público para o mosh pit. Os baianos de Salvador continuam com a influência do grindcore no som À Lucidez, que também é empolgante e com detalhes marcantes. “Batismo e Gasolina” é um daqueles som que tem a blasfêmia como ingrediente especial, e é claro que gostamos muito! ” Na outra face do Cristo há um buraco de bala”, trata muito bem do que os cristãos atuais fariam com a figura, caso existisse e estivesse entre nós.

O split reforça a união das bandas do nordeste. Música extrema somada a consciência e qualidade elevada! Garanta o seu CD físico com os selos  Resistência Underground Distro e Prod.Insulto REXCospe Fogo GravaçõesEntorte Discos, Metal Island, Electric Funeral RecordsBurn Records e Tropical Death.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s